sábado, 14 de outubro de 2017

UMA NOVA COROA PARA NOSSA SENHORA





A imagem original de Nossa Senhora Aparecida ganha
 uma nova coroa.
A nova coroa começou a ser desenhada em 2014, a pedido
 do cardeal Dom Raymundo Damasceno, então arcebispo
 de Aparecida. A quantidade de ouro, 300 gramas, faz alusão 
aos 300 anos de fé na santa. 
As cores das pedras remetem à bandeira do Brasil.
As cores do Brasil aparecem em quatro esmeraldas na coroa. Quatro safiras fazem alusão as cores da bandeira. 
A base da coroa é esmaltada em azul, remetendo ao manto
 de Nossa Senhora e também aos rios”, explicou Alix Ligne, gerente de marketing da joalheria. Além disso, flores foram reproduzidas para representar a feminilidade.
Ela contou que dez profissionais, devotos de Nossa Senhora, foram envolvidos na manufatura da joia. Além das pedras preciosas, a coroa tem na base porções pequenas de terra de
 todos os estados brasileiros.






terça-feira, 13 de dezembro de 2016

13 DE DEZEMBRO- DIA DE SANTA LUZIA






Oh! Santa Luzia, que preferistes deixar 
que os vossos olhos fossem vazados e arrancados
 antes de negar a fé e conspurcar vossa alma.
  E Deus, com um milagre extraordinário, 
vos devolveu outros dois olhos sãos
 e perfeitos para recompensar vossa virtude 
e vossa fé, e vos constituiu protetora
 contra as doenças dos olhos.
 Eu recorro a vós, para que protejais minhas vistas
 e cureis a doença dos meus olhos.
 Oh! Santa Luzia, conservai a luz dos meus olhos,
 para que eu possa ver as belezas da criação.
 Conservai também os olhos de minha alma,
 a fé, pela qual posso conhecer o meu Deus, 
compreender os seus ensinamentos, 
reconhecer o seu amor para comigo 
e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós,
 Santa Luzia, vos encontrais, em companhia 
dos anjos e santuário.
Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. 
Amém. 
 

 
 

 
 SANTA LUZIA, ROGAI POR NÓS E PROTEGEI 
NOSSOS OLHOS!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

12 DE OUTUBRO -DIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA







“Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida. Mãe de meu Deus, Rainha dos Anjos, Advogada dos pecadores, Refúgio e Consolação dos aflitos e atribulados, ó Virgem Santíssima; cheia de poder e bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, para que sejamos socorridos em todas as necessidades.

Lembrai-vos, clementíssima Mãe Aparecida, que não se consta que de todos os que têm a vós recorrido, invocado vosso santíssimo nome e implorado vossa singular proteção, fosse por vós algum abandonado.

Animado com esta confiança a vós recorro: tomo-vos de hoje para sempre por minha Mãe, minha protetora, minha consolação e guia, minha esperança e minha luz na hora da morte.

Assim pois, Senhora, livrai-me de tudo o que possa ofender-vos e a vosso Filho meu Redentor e Senhor Jesus Cristo. Virgem bendita, preservai este vosso indigno servo, esta casa e seus habitantes, da peste, fome, guerra, raios, tempestades e outros perigos e males que nos possam flagelar.

Soberana Senhora, dignai-vos dirigir-nos em todos os negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude, pelos merecimentos da vossa puríssima Virgindade e do preciosíssimo Sangue de vosso Filho, vos possamos ver, amar e gozar na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.”


“Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida. Mãe de meu Deus, Rainha dos Anjos, Advogada dos pecadores, Refúgio e Consolação dos aflitos e atribulados, ó Virgem Santíssima; cheia de poder e bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, para que sejamos socorridos em todas as necessidades.

Lembrai-vos, clementíssima Mãe Aparecida, que não se consta que de todos os que têm a vós recorrido, invocado vosso santíssimo nome e implorado vossa singular proteção, fosse por vós algum abandonado.

Animado com esta confiança a vós recorro: tomo-vos de hoje para sempre por minha Mãe, minha protetora, minha consolação e guia, minha esperança e minha luz na hora da morte.

Assim pois, Senhora, livrai-me de tudo o que possa ofender-vos e a vosso Filho meu Redentor e Senhor Jesus Cristo. Virgem bendita, preservai este vosso indigno servo, esta casa e seus habitantes, da peste, fome, guerra, raios, tempestades e outros perigos e males que nos possam flagelar.

Soberana Senhora, dignai-vos dirigir-nos em todos os negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude, pelos merecimentos da vossa puríssima Virgindade e do preciosíssimo Sangue de vosso Filho, vos possamos ver, amar e gozar na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.”




NOSSA SENHORA DO PARAÍSO


 
 
 
Entre os anos de 1480 e 1500, foi encontrada,
 por um pastor que ali guardava o seu rebanho, 
uma pequena imagem de Nossa Senhora, 
no tronco de um sobreiro.
O pastor cheio de alegria, mas também 
com algum receio, visto que a imagem estava cercada
 de luz, o pastor não conseguiu pegar-lhe, 
então apressou-se para ir contar o sucedido ao 
Pároco de Aveiras. 
Dada a notícia ao Pároco, o mesmo convocou 
a população de Aveiras para que, em conjunto
 com ele, em procissão, fossem buscar a Imagem
 que se revelara ao pastor. 
Assim com muita Fé e Devoção partiram de Aveiras 
até ao dito local onde se encontrava a tal Imagem,
 chegando ao local o pároco, com toda a delicadeza,
 retirou a Imagem e levou-a para a Igreja de Nossa
 Senhora da Purificação em Aveiras de Cima,
 onde foi colocada no altar-mor.
No dia seguinte, o povo dirigiu-se para a igreja
 para venerar a Imagem, mas ao chegarem verificaram 
que a Santa Imagem já não se encontrava no local.
 Indo a procura da Imagem sagrada, descobriram-na 
no sobreiro onde tinha sido encontrada. 
Levaram-na de volta para a igreja pela segunda vez
 mas o sucedido voltou-se a repetir apela terceira vez,
 logo perceberam que era ali que a Sagrada 
Imagem queria estar, por tal acontecimento o povo
 mandou-lhe ali edificar um pequena ermida. 
Por todo o lado a Imagem da Virgem ia ganhando
 fama de milagrosa.
D.Ana de Lencastre, refugiando-se da peste 
que assolava Lisboa, dirigiu-se para comenda
 em Aveiras, pelas notícias que já tinha ouvido da
 Milagrosa Imagem de Senhora do Paraíso
 e com fé de que só na sua companhia,
 poderia escapar ao contágio da peste, ai ficou e acabou
 por escapar à peste e então decidiu, por isso,
 aumentar a ermida. 
Com o decorrer dos anos, a devoção a Nossa Senhora 
do Paraíso era cada vez maior, espalhando-se a fama 
de seus milagres. 
A 24 de Fevereiro de 1562, foi fundada a Confraria 
de Nossa Senhora do Paraíso que tinha estatutos próprios
 e cumpria com os princípios das irmandades do Reino, 
e que ainda hoje acontecem. 
A Imagem, que sustenta o Menino Jesus nos braços,
 era muito pequenina, não passava de um palmo de altura
 e há que lhe atribuíram o nome de Nossa Senhora do
 Ó, cuja devoção se realiza a 18 de Dezembro.
 Ainda hoje, a tradição de prestar devoção 
à Imagem, continua.
Em 1755, com o Terremoto de Lisboa, Vale do 
Paraíso foi afetado e a igreja sofreu vários danos, 
alguns ainda visíveis hoje em dia.
 Com a recuperação do portal principal da igreja,
 em 2015, descobriu-se que, provavelmente,
 o Terremoto de Lisboa causou mais danos à igreja
 do que se previa.
No ano de 1957, foi acrescentado à igreja uma torre sineira. 
Neste mesmo ano, Vale do Paraíso recebeu
 a imagem de Nossa Senhora de Fátima Peregrina.
 Hoje em dia, a Igreja de Nossa Senhora do Paraíso 
está preservada, graças à Confraria de Nossa
 Senhora do Paraíso, que a tem gerido
 por mais de 450 anos.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

NOSSA SENHORA DO BOM SOCORRO








"Pouco distante da antiga cidade de Rouen, em um dos sítios 
mais poéticos e pitorescos das montanhas da Normandia.
 Está situado o privilegiado santuário de Nossa Senhora
 do Bom Socorro.

A história das peregrinações e desse culto remonta
 a épocas imemoriais.
 Nada há escrito a respeito antes do século XI nos 
documentos públicos, mas é conhecidíssima pela tradição.

Um artífice desconhecido, que amava muito a Santíssima
 Virgem, muniu-se um dia de um tronco de árvore e 
algumas ferramentas, resolvido
 a fazer uma imagem da Rainha do Céu, a quem muitas
 vezes tinha pedido socorro, ou seu bom socorro.

O piedoso operário trabalhou como pôde, sem 
nenhuma pretensão aos louvores 
humanos, esforçando-se por reproduzir, com as 
ferramentas comuns, manejadas 
por suas mãos não habituadas a fazer figuras humanas, 
a formosura ideal de Maria.

Do alto do céu, a Mãe de Deus, sempre humilde em sua
 glória, sempre boa em seu poder, sorria aos seus esforços. 
E, porque o operário não procurava a própria glória,
 mas unicamente a glória de Deus, porque ele amava e 
invocava aquela de quem empreendera figurar os traços entrevistos por sua alma, porque, em vez 
de procurar um modelo aqui na terra, ele tinha voltado
 para o céu os olhos abertos por uma fé sincera, por tudo isto
 ela adotou essa humilde e simples imagem,
 dignando-se a abençoá-la.

Foi então que os piedosos fiéis, que frequentavam a 
obscura igreja em que a imagem do rústico artista tinha
 obtido um altar, começaram a sentir os efeitos 
maravilhosos da proteção divina.
 Todos os atribulados, todos os infelizes, formando longas
 filas, começaram a percorrer o caminho que conduzia
 à igreja de Nossa Senhora do Bom Socorro
E a velha capital normanda, dirigindo os olhos para a
 colina, compreendeu que, se alguma calamidade
 viesse a afligi-los, a salvação lhe viria de lá.

A notícia de tantos milagres operados por intercessão
 da Virgem milagrosa, a narração dos numerosos 
benefícios que diariamente emanavam dela chegaram
 ao conhecimento dos soberanos pontífices, que 
abriram em seu favor o santo tesouro das indulgências.
Continuando a devoção popular a desenvolver-se sempre
 mais, chegou o dia em que a velha igreja não pôde mais
 conter a multidão desejosa de ajoelhar-se
 confiante aos pés da venerada imagem.

Começou-se então a pensar em lhe construir um outro 
templo, vasto e condigno, para colocar em um trono 
conveniente essa imagem esculpida não pelo gênio de 
um homem, mas pelo amor de um cristão dedicado,
 orientado pelo olhar complacente
 de Maria. Foi por isso que um santo sacerdote, 
unicamente com a energia de seu amor e de sua fé,
 revolucionou a França e a Europa toda, encaminhando os milhões empregados sabiamente na construção e 
embelezamento da morada de Maria.

A imagem miraculosa de Nossa Senhora do Bom
 Socorro diante da qual se ajoelharam tantas gerações, 
é de madeira e ricamente vestida, verdadeiramente 
digna de ser contemplada.
 A Virgem e o Menino Jesus têm o semblante sorridente 
e os misericordiosos  braços abertos, parecendo convidar 
os fiéis à confiança. 
Não há quem não se comova ao contemplá-la".
Texto retirado na Net