terça-feira, 8 de dezembro de 2015

PRECE À NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO





Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado 
original e por isto merecestes o título de Nossa Senhora
 da Imaculada Conceição. Por terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo Gabriel vos saudou com as belas palavras: 
“Ave Maria, cheia de graça”, nós vos pedimos que nos alcanceis do vosso divino Filho, o auxílio necessário, para vencermos as tentações e evitarmos os pecados. 
E já que vos chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal esta graça: (fazer o pedido), para que possamos
 viver como dignos filhos vossos. 
Nossa Senhora da Conceição, rogai por nós. 
Amém.
Rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

PRECE





"Meu Deus, porque sois onipotente, infinitamente 
misericordioso e fidelíssimo às Vossas promessas.
Eu espero da Vossa bondade que, em atenção aos 
méritos de Jesus Cristo, nosso Salvador, me dareis
a vida eterna e as graças necessárias para a alcançar, 
como prometestes aos que praticassem as boas obras 
que eu me proponho realizar ajudado com o auxílio 
da Vossa divina graça. 
Senhor, minha esperança, na qual quero viver e morrer. 
Jamais serei confundido". 
Amém!

ORAÇÃO DO PERDÃO





"Senhor, Jesus, quero abrir meu coração para perdoar 
a todos que me ofenderam: Eu perdoo meu pai, minha
 mãe, e meus irmãos por qualquer atitude de desafeto.
Eu perdoo meu esposo por qualquer falta de atenção,
 amor e fidelidade.
Eu perdoo as pessoas que me marcaram negativamente,
 na infância e na adolescência.
Eu perdoo colegas de trabalho, pessoas que tentaram 
me prejudicar e armaram contra mim.
Eu perdoo pessoas da Igreja, padres, religiosos, 
coordenadores de pastoral ou de grupos de oração
 que me magoaram profundamente". 
Amém!


quinta-feira, 8 de outubro de 2015

NOSSA SENHORA, PADROEIRA DO BRASIL





Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida. 
Mãe de meu Deus, Rainha dos Anjos, Advogada
 dos pecadores, Refúgio e Consolação dos aflitos
 e atribulados, ó Virgem Santíssima; cheia de poder 
e bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, 
para que sejamos socorridos em todas as necessidades.

Lembrai-vos, clementíssima Mãe Aparecida, que não se 
consta que de todos os que têm a vós recorrido, invocado
 vosso santíssimo nome e implorado vossa singular 
proteção, fosse por vós algum abandonado.
Animado com esta confiança a vós recorro: tomo-vos
 de hoje para sempre por minha mãe, minha protetora, 
minha consolação e guia, minha esperança e minha luz
 na hora da morte.

Assim pois, Senhora, livrai-me de tudo o que possa 
ofender-vos e a vosso Filho meu Redentor e Senhor
 Jesus Cristo. 
Virgem bendita, preservai este vosso indigno servo, 
esta casa e seus habitantes, da peste, fome, guerra, 
raios, tempestades e outros perigos e males que nos 
possam flagelar. 
Soberana Senhora, dignai-vos dirigir-nos em todos os 
negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação
 do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude,
 pelos merecimentos da vossa puríssima Virgindade e do preciosíssimo Sangue de vosso Filho, vos possamos ver, 
amar e gozar na eterna glória,
 por todos os séculos dos séculos. 
Amém.



sábado, 19 de setembro de 2015

PRECE





Nossa Senhora, mãe de Jesus e nossa mãe intercessora, 
proteja todos os doente, todas as pessoas que sofrem nos
 leitos dos hospitais, nos corredores dos hospitais, 
principalmente, minha irmã Amélia que está perdendo
 a vontade de viver. 
Ela está internada e se submeterá  a um cateterismo. 
Proteja-a, minha mãe, interceda junto a seu filho Jesus, 
para que tudo corra bem e se reverta em uma melhor 
qualidade de vida. 
Inunde seu coração de fé, esperança e força, 
para encontrar novamente a alegria de viver.
 Amém!



terça-feira, 15 de setembro de 2015

ORAÇÃO





Minha Nossa Senhora, nossa Rainha intercessora, 
interceda junto ao seu filho Jesus, por minha amiga,
 nossa amiga, Nayara Araújo. 
Ela está precisando muito de proteção e força,
 para vencer esta terrível doença que a acometeu.
 Ela forte, guerreira, mas a doença está muito resistente.
 Somente mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo pode salvá-la.
 Eu confio muito na Senhora e ela também. 
Sei que posso contar com a senhora e nosso amado Jesus. 
Nos planos de Deus, ela já está curada. Amém!

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

REGRAS DE NOSSA SENHORA DE LA SALETE





Nossa Senhora de La Salette disse à Mélanie, 
no dia 19 de Setembro de 1846: "Melanie, o que direi 
agora não será segredo; será a regra que fareis seguir 
às minhas filhas que estarão aqui quando a regra for 
aprovada pelos superiores. Os meus missionários seguirão
 a mesma regra". 
1. Os membros da ordem da Mãe de Deus amarão 
Deus sobre todas as coisas e o seu próximo como si 
próprios unicamente pelo amor de Deus. 
2. O espírito desta ordem não sera outro que o próprio 
espírito de Jesus Cristo e o espírito de Jesus Cristo nas almas. 
3. Os membros desta ordem se aplicarão a estudar e imitar
 Jesus Cristo, e quanto mais Jesus sera conhecido, 
mais eles se humilharão à vista do seu nada, da sua fraqueza, 
da sua incapacidade de fazer um bem real nas almas
 sem ajuda da divina graça. 
4. Es terão um obediência perfeita em tudo e em qualquer parte. 
5. Cada um deles, conservará perfeitamente casto o seu 
corpo e espírito para que Jesus Cristo faça a sua morada neles. 
6. Os membros desta ordem terão um só coração e uma só 
alma em Jesus Cristo 
7. Nenhum deles terá qualquer propriedade, nem ambicionará qualquer coisa passageira,mas tudo será propriedade comum. Quero que todos os meus filhos se desnudem totalmente 
de bens passageiros, sejam despojados de tudo. 
8. Terão uma grande caridade sem limites; sofrerão tudo 
de todos ao exemplo do seu divino mestre e não farão
 sofrer ninguém. 
9. Os membros da ordem obedecerão ao seus superiores 
e lhes renderão a honra e o respeitos devido com uma 
grande simplicidade do coração. 
10. A superiora vigiará com docilidade sobre a observação 
da regra. De tempo em tempo, ela consultará o padre 
missionário que cuidará das vossas almas. 
Ela será a mais humilde e será mais severa contra si mesma
 do que contra as outras. Ela corrigirá as faltas das suas filhas com grande docilidade e prudência. Ela elevará sempre a sua alma a Deus antes de corrigir. 
11. Haverá no santuário exposto o Santíssimo Sacramento,
 de dia e noite, durante os meses de Setembro, de Fevereiro
 e Maio, aonde a felicidade dos membros da ordem consistirá
 de passar felizes horas, quando a caridade e a salvação das
 almas, o permeter. 
12. Levarão uma vida interior, portanto laboriosa, unindo
 a vida contemplativa à vida ativa; sacrificar-se-ão e
 ferão-se vitimas de Jesus e de Jesus crucificado. 
13. Receberão quotidianamente o pão de vida com 
muita piedade. Podereis no entanto recusar a comunhão
 à qualquer membro, quando vereis, que ele não segue os
 passos de Jesus crucificado. 
14. Fora dos jejuns prescritos pela Igreja,
 eles jejuarão também durante os meses de Setembro, 
Fevereiro e Maio. Servir-se-ão de uns instrumentos de
 penitência.  Aqueles que por fraqueza não poderão fazer
 obras de expiação oferecerão com docilidade e humildade
 esta infirmidade a Jesus Cristo. 
15. Jejuarão e farão qualquer penitência todas as sextas-feiras. Todas estas obras serão oferecidas pelas almas do purgatório, 
em favor da conversão e pelo progresso próprio 
no amor de Deus. 
16. Os membros da ordem serão muito dóceis e humildes
 perante pessoas seculares e os receberão com grande bondade. Os que serão os mais humildes terão o primeiro lugar no 
coração de Jesus e no meu. 
17. Os membros não terão que um só coração e uma só alma, ninguém agarrar-se-há à própria vontade. 
18. Serão de uma pureza angélica e observerão uma grande modéstia perante todos e em toda a parte. 
19. Todos guardarão um silêncio profundo, evitando com cuidado conversas inúteis com estranhos. 
20. As pessoas que quererão ser recebidas nesta ordem, terão a intenção sincera de se dar a Deus inteiramente e de se sacrificar pelo Seu amor. Aplicarão-se bem à obediência, que as conduzirá ao Céu. 
21. Não serão admitidos entre os postulantes antes de ter feito exercícios espirituais de doze dias, durante os quais terão feitos um confissão geral ao padre missionário, confessor da comunidade. Se estiverem dispostos a trabalhar com todas as suas forças na sua própria santificação e a adquirir as virtudes próprias a uma vítima disposta a se imolar cada dia pelo Deus do céu e da terra, serão recebidos no noviciado e após três meses receberão o hábito da ordem. E não devem esquecer que foram recebidos na casa da Mãe de Deus exclusivamente para trabalhar na sua santificação pela oração, pela penitência e por todas as obras que diyem respeito à glória de Deus e à salvação das almas. 
22. Meus missionários serão os apóstolos dos últimos tempos; pregarão o Evangelho de Jesus Criso em toda a sua pureza por toda a terra. 
23. Terão um zelo infatigável, pregarão a emenda dos corações, a penitência e a observação da lei de Deus; pregarão sobre a necessidade da oração, sobre o menosprezo da coisas da terra, sobre a morte, o julgamento, o paraíso e o inferno, sobre a vida, a morte e a ressureição de Jesus Cristo. Fortificarão as pessoas na fé para que, quando o demónio vier, muitos não sejam enganados. 
24. Formar-se-há bem as novas pessoas nas virtudes cristãs 
e na prática da humildade, da caridade, da renúncia 
e da docilidade. 
25. O noviciado será de seis anos. Aqueles que terão dado
 a prova de sólidas virtudes e que queiram se juntar aos combatentes de Jesus Cristo nesta ordem, pedirão de
 joelhos à superiora esta graça; e após o que tereis feito conhecido as suas obrigações dentro da regra que Eu vos 
dou; se eles prometerem observa-la fielmente, receber-los-ei. 
26. A oração se fará de comum no santuário, à hora que
 convier, que sera estabelecida. 
27. Comer-se-há no refeitório o que seja necessário para sustentar a vida e para trabalhar para a glória de Deus; ao mesmo tempo que o corpo receber o que lhe convier durante
 a refeição a alma sera fortificada por uma leitura santa. 
28. Ter-se-há o maior cuidado com os membros enfermos 
e doentes. 
29. Se um membro ofender a um outro membro por palavras
 ou outros atos, deverá emendar a sua falta o mais breve possível. 
30. Todos os membros desta ordem farão uma genuflexão 
cada vez que passarão diante do tabernáculo onde se 
encontra Jesus Cristo. 
31. Cada vez que as pessoas se encontrarão, uma dirá "Que 
Jesus seja amado por todos os corações!" e a outra responderá: "Assim seja!" 
32 As religiosas recitarão o ofício como as religiosas de
 Corenc perto de Grenoble; também o capítulo e as 
outras práticas se farão como lá. 
33. Todos os membros trarão uma cruz como a minha".



quinta-feira, 27 de agosto de 2015

NOSSA SENHORA DE LA SALETE






Os dois pastorinhos - Maximin Giraud e Mélanie Calvat -
 tiveram uma visão da Virgem Maria numa montanha perto
 de La Salette, França, a 19 de setembro de 1846, por volta
 das três horas da tarde. Fazia muito sol.
Maximin Giraud e Mélanie Calvat haviam recebido apenas 
uma muito limitada educação.
A aparição consistia em três fases diferentes. 
As crianças viram, numa luz resplandecente, uma bela 
dama em um estranho costume, falando alternadamente 
em francês e no dialeto local do occitano .
 Ela estava sentada sobre uma pedra, e as crianças relataram 
que a "Belle Dame" estava triste e chorando, com seu rosto descansando em suas mãos. A Bela Senhora pôs-se de pé. 
E disse: "Vinde, meus filhos, não tenhais medo, aqui estou 
para vos contar uma grande novidade!"

"Se meu povo não quer se submeter, sou forçada a deixar cair 
o braço de meu Filho. É tão forte e tão pesado que não
 o posso mais."

"Há quanto tempo sofro por vós."
"Dei-vos seis dias para trabalhar, reservei-me o sétimo
e não o querem conceder! É isso que torna tão pesado o
 braço de meu Filho."
"E também os carroceiros não sabem jurar sem usar o nome
 de meu Filho. São essas as duas coisas que tornam tão 
pesado o Seu braço."
"Se a colheita for perdida a culpa é vossa (...) Orai bem, 
fazei o bem."

"Se a colheita se estraga, e só por vossa causa.
Eu vô-lo mostrei no ano passado com as batatinhas:
 e vós nem fizestes caso! 
Ao contrário, quando encontráveis batatinhas estragadas, blasfemáveis usando o nome de meu Filho. Elas continuarão assim e, neste ano, para o Natal, não haverá mais."

Então, as crianças descem até a Bela Senhora. 
Ela não parava de chorar. 
Segundo os relatos das crianças, a Senhora era alta 
e toda de luz. Vestia-se como as mulheres da região: vestido longo, um grande avental, lenço cruzado e amarrado
 às costas, touca de camponesa. 
Rosas coroavam sua cabeça, ladeavam o lenço e ornavam 
seu calçado. Em sua fronte a luz brilhava como um diadema. Sobre os ombros carregava uma pesada corrente.
 Uma corrente mais leve prendia, sobre o peito,
 um crucifixo resplandecente, com um martelo de um lado;
 E de outro, uma torquês. 
Assim a Bela Senhora falou em segredo a Maximino 
e depois a Melânia.

E novamente, os dois em conjunto, ouvem as seguintes 
palavras: "Se converterem, as pedras e rochedos se transformarão em montões de trigo, e as batatinhas serão semeadas nos roçados".
E a Bela Senhora conclui, não mais
 em patois, e sim em francês: "Pois bem, meus filhos, transmitireis isso a todo o meu povo."
 Terminou assim a aparição. 
Segundo as crianças, ela andava, mas as plantas de seus pés 
não esmagavam a relva, quase não dobravam os talos.
 Mélanie correu e a contemplou de novo lá no alto. 
E depois, segundo ela, viu o rosto e a figura da Senhora desaparecendo à medida que a luminosidade aumentava. 

Os Apóstolos dos Últimos Tempos

Nas suas aparições, Nossa Senhora de La Salette, tal como 
São Luís de Mantfort, falou dos Apóstolos dos Últimos Tempos. São Luís de Mantfort, na sua obra "Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria", profetizou o surgimento futuro daqueles a que o próprio santo chamou de "Apóstolos
 dos Últimos Tempos" e que viriam a ser confirmados, mais tarde, durante as aparições de Nossa Senhora em La Salette.

Durante a aparição de 19 de Setembro de 1846, decorrida na montanha de La Salette, Nossa Senhora, após dar o segredo, ditou à vidente Mélanie Calvat, palavra por palavra, uma regra para que se fundasse uma ordem religiosa com o nome de "Ordem da Mãe de Deus" e que se destinaria aos "Apóstolos
 dos Últimos Tempos".

No dia 3 de Outubro 1876, num interrogatório, Mélanie
 Calvat revelou ao Padre F. Bliard: "Esta ordem abrangerá:
 1º - Padres, que serão os Missionários da Santíssima Virgem 
e os Apóstolos dos Últimos Tempos; 2º - Irmãs religiosas que dependerão dos Missionários; 3º - Fiéis de vida secular que
 se queiram associar à obra. A finalidade desta nova ordem religiosa é a de trabalhar-se mais eficazmente na santificação
 do clero, na conversão dos pecadores e a de propagar o reino
 de Deus na terra inteira. 
As religiosas, tal como os missionários, são chamadas a 
trabalhar com zelo na salvação das almas pela oração e
 pelas obras de misericórdia corporais e espirituais. 
Quanto ao espírito da ordem, este deve ser o espírito dos primeiros apóstolos. 
A Santíssima Virgem caracterizou suficientemente este
 espírito, seja na regra que Ela me deu, seja no apelo aos Apóstolos dos Últimos Tempos em que finda o segredo".

Em relação aos "Apóstolos dos Últimos Tempos", Nossa
 Senhora de La Salette disse: 
"Eu dirijo um urgente apelo à Terra; chamo os verdadeiros discípulos do Deus Vivo que reina nos Céus; chamo os verdadeiros imitadores de Cristo feito Homem, o único e verdadeiro salvador dos homens; chamo os meus filhos, 
os meus verdadeiros devotos, aqueles que já se me
 consagraram, a fim de que vos conduza ao meu Divino
 Filho; os que, por assim dizer, levo nos meus braços,
 os que têm vivido do meu Espírito; finalmente, chamo os Apóstolos dos Últimos Tempos, os fiéis discípulos de Jesus
 Cristo que têm vivido no desprezo do mundo e de si próprios,
 na pobreza e na humildade, no desprezo e no silêncio,
 na oração e na mortificação, na castidade e na união com 
Deus, no sofrimento e no desconhecimento do mundo.
 Já é hora de que saiam e venham iluminar a Terra.
 Ide e mostrai-vos como filhos queridos meus.
 Eu estou convosco e em vós sempre que a vossa fé seja 
a luz que ilumine, e nesses dias de infortúnio, que o vosso
 zelo vos faça famintos da glória de Deus e da honra 
de Jesus Cristo."

No mesmo dia 19 de Setembro 1846, Mélanie teve uma visão: "Vejo os Apóstolos dos Últimos Tempos com os seus hábitos.
 Ele parece-se mais ou menos ao dos sacerdotes dos
 seus tempos. Numa extremidade da cinta, encontram-se 
estas três letras em encarnado: M.P.J. (Mourir pour Jesus - Morrer por Jesus). 
 Na outra extremidade as seguintes três letras em azul:
 E.D.M. (Enfant de Marie - Filho de Maria)".

terça-feira, 18 de agosto de 2015

NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS






1ª Aparição

Na noite de 18 para 19 de julho de 1830, em Paris
 (Rue du Bac), Nossa Senhora apareceu à irmã Catarina Labouré, filha da Caridade de São Vicente de Paulo.
 Por volta das onze e meia da noite, Catarina, que dormia, 
foi acordada por um chamado insistente: 
"Irmã, Irmã, Irmã!" Olhou para o lado de onde vinha
 a voz, e viu um menino vestido de branco, a quem 
reconheceu como seu anjo da guarda. Ele lhe disse:
 "Venha à capela, a Santa Virgem te espera". 
Conduzida à capela, Catarina espera e reza. 
Passada uma meia hora, o anjo anunciou de súbito 
"Eis a Santíssima Virgem". Ao lado do altar, onde 
normalmente se lê a epístola, Maria desceu, dobrou
 o joelho diante do Santíssimo Sacramento e vai sentar-se
 numa cadeira no coro dos sacerdotes. Num abrir e fechar
 de olhos a vidente se atirou aos seus pés, apoiando suas
 mãos sobre os joelhos maternais de Nossa Senhora. 
Foi esse o momento mais belo de sua vida. 

Durante duas horas Maria falou com Catarina duma
 missão que Deus queria confiá-la e também das dificuldades 
que iria encontrar na realização da mesma. Depois Maria desapareceu, e o anjo a reconduz ao dormitório.

2ª Aparição

Em 27 de novembro de 1830, ela aparece novamente 
e encarrega Catarina de mandar cunhar uma medalha 
e depois difundi-la. Nessa aparição, Nossa Senhora 
apresentou-se vestida de seda branca como a aurora. 
Suas mãos erguidas à altura do peito, seguravam 
um globo dourado, encimado por uma cruz. 
Tinha os olhos elevados ao céu, e seu rosto iluminava
 -se enquanto oferecia o globo ao Senhor.
 Em seguida, as mãos da Virgem pareceram carregar-se
 de anéis preciosos. Os raios que partiam de suas mãos alargavam-se à medida que desciam, a ponto de não
 deixarem ver os pés de Nossa Senhora.

Enquanto contemplava Maria, Catarina ouviu
 interiormente: "Este globo que vês representa o mundo 
inteiro e especialmente a França, e cada pessoa
 em particular. 
Os raios são o símbolo das Graças que derramo sobre 
as pessoas que me pedem".
Enquanto Maria estava rodeada duma luz brilhante, 
o globo desaparece de suas mãos. Forma-se então um 
quadro de forma oval em que havia em letras de ouro
 as seguintes palavras: "Ó Maria, concebida sem pecado,
 rogai por nós que recorremos a vós".

Então Nossa Senhora revelou: "Faze cunhar uma 
medalha conforme este modelo. 
As pessoas que a trouxerem ao pescoço receberão
 grandes graças. 
As graças serão abundantes para os que a trouxerem 
com inteira confiança".
 No mesmo instante, a imagem luminosa transformou-se. 
As mãos carregadas de anéis, que seguravam o globo, 
abaixaram-se, abrindo e despejando raios, sobre o globo 
agora abaixo dos pés da Virgem, esmagando 
a serpente infernal.

Depois, o quadro voltou-se, mostrando no reverso um 
conjunto de emblemas. 
No centro um grande M, o monograma de 
Maria, encimado por uma cruz sobre uma barra, 
e embaixo dois corações: o da esquerda cercado de espinhos,
 o da direita transpassado por uma espada. 
Eram os Sagrados Corações de Jesus e Maria. 
Cercando esse conjunto, uma constelação de 12 estrelas, 
em forma oval. 
A Santa tinha de fato uma grandiosa missão pela frente. 
Como o padre confessor Gian Maria Aladel não lhe deu 
crédito (nisso residiriam as dificuldades prenunciadas 
por Maria), Nossa Senhora apareceu novamente e insistiu
 para que se fizesse a medalha. Catarina fala novamente
 com o confessor, que se reúne com o bispo tendo em vista 
uma decisão. Finalmente, em 1832 seria cunhada a 
medalha de acordo com as instruções 
da Virgem Maria.

Prodígios e propagação da Medalha Milagrosa

Quando iam ser cunhadas as primeiras medalhas, uma 
terrível epidemia de cólera, proveniente da Europa 
oriental, atingia Paris. O flagelo se manifestou a 26 de 
março de 1832 e se estendeu até meados do ano.
 A 1º de abril, faleceram 
79 pessoas; no dia 2, 168; no dia seguinte, 216, e assim
 foram aumentando os óbitos, até atingirem 861 no dia 9. 
No total, faleceram 18.400 pessoas, oficialmente.
Na realidade, esse número foi maior, dado que as 
estatísticas oficiais e a imprensa diminuíram os números
 para evitar a intensificação
 do pânico popular. No dia 30 de junho, foram entregues 
as primeiras 1500 medalhas que haviam sido encomendadas
 à Casa Vachette e as religiosas Filhas da Caridade 
começaram a distribuí-las entre os flagelados. 
Na mesma hora, refluiu a peste e começaram, em série, 
os prodígios de conversão, proteção e cura, que em poucos 
anos tornaram a Medalha Milagrosa mundialmente 
conhecida. Perante os fatos, o Arcebispo de Paris, Monsenhor
 de Quélen, ordenou um inquérito oficial sobre a origem e os efeitos da Medalha da Rue du Bac. 
Deste concluiu-se que
 "A rápida propagação, o grande número de medalhas 
cunhadas e distribuídas, os admiráveis benefícios 
e as graças singulares obtidas, parecem sinais do Céu, 
que confirmam a realidade 
das aparições, a veracidade das narrativas da vidente 
e a difusão da medalha."

A Medalha Milagrosa continua sendo distribuída
 aos milhares. Maximiliano Kolbe, fundador da Milícia
 da Imaculada, morto num campo de extermínio nazista, 
foi um grande propagador da Medalha Milagrosa.
 A medalha é um sinal de que seu portador pertence à 
Virgem Maria. 
Por isso, Maria tem por ele um carinho de Mãe, 
todo especial.


sábado, 8 de agosto de 2015

NOSSA SENHORA DE LA VANG





Nossa Senhora de La Vang (vietnamita: Đức me La Vang ) refere-se a um relataram aparição mariana em um
 momento em que os católicos  foram perseguidos e mortos
 no Vietnã. O Santuário de Nossa Senhora de La Vang
 (Basílica de Nossa Senhora de La Vang) situa-se no
 que é hoje comuna Hai Phu em Hái Lang Distrito da 
Província de Quang Tri em Central Vietnã. 
Temendo a propagação do Catolicismo, o Cánh Thinh Imperador, restringiu a prática do catolicismo no
 país em 1798. 
Logo depois, o imperador emitiu um édito anti-católico
 em que a perseguição se seguiu.

Muitas pessoas procuraram refúgio na floresta tropical de La Vang, em Quang Tri Province, Vietnã e muitos tornaram-se muito doente. 
Enquanto se escondia na selva, a comunidade se reuniram
 todas as noites ao pé de uma árvore para rezar o rosário. 
Uma noite, uma aparição surpreendeu. 
Nos galhos da árvore uma senhora apareceu, vestindo o tradicional vietnamita ao dai vestido e segurando uma
 criança nos braços, com dois anjos a seu lado. As pessoas presentes interpretou a visão como a Virgem Maria e o bebê Jesus Cristo  . Eles disseram que Nossa Senhora
 os consolou e disse-lhes para ferver as folhas das árvores,
 para a medicina para curar o doente. Lenda afirma que o termo "La Vang" era um derivado da palavra vietnamita significa "clamando". Os estudiosos modernos acreditam que ela vem da antiga prática de nomear um local para um género de uma árvore ou planta nativa para a área, La significa "folha" e "Vang "sementes de ervas".

Em 1802 os cristãos voltaram para suas aldeias, 
passando sobre a história da aparição em La Vang
 e sua mensagem.
 Como a história das aparições se espalhou, muitos 
vieram para rezar neste site e para oferecer incenso. 
Em 1820, foi construída uma capela.

A partir de 1830-1885 outra onda de perseguições dizimaram 
a população cristã, durante o auge da qual a capela em honra 
de Nossa Senhora de La Vang foi destruída. 
Em 1886, a construção de uma nova capela Bagan. 
Após a sua conclusão, o bispo Gaspar (Loc) consagrou
 a capela em honra de Nossa Senhora Auxiliadora, em 1901.

Em 8 de Dezembro de 1954, a estátua de Nossa Senhora 
de La Vang foi trazida da Tri Bun de volta
 ao santuário sagrado. 
A Conferência Episcopal vietnamita escolheu a igreja
 de Nossa Senhora de La Vang como o Santuário Nacional 
em honra da Imaculada Conceição. 
La Vang tornou-se a Marian Centro Nacional do Vietnã,
 em 13 de abril de 1961. 
O Papa João XXIII elevou a Igreja de Nossa Senhora
 de La Vang à categoria de basílica menor
 em 22 de agosto de 1961.

Em 19 de junho de 1998, o Papa João Paulo III
 reconheceu publicamente a importância de Nossa Senhora
 de La Vang e expressou o desejo de reconstruir o La Vang Basílica, em comemoração do 200º aniversário da
 primeira visão. 
O pesquisador Lê Xuân Nhuan publicou um artigo
 sobre o vnforum@vnforum.org idioma Inglês-moderado,
 pelo Dr. Trần Đình Hoanh, para rejeitar a resposta
 "Sim" dos crentes velhos-idade que morrem em 
que o Trí Buu Vigário base para relatar sobre as aparições.  Posteriormente, o Papa João Paulo II, dois meses depois,
 por meio de L'Osservatore Romano , em 12 de agosto de
 1998, foi muito honesto e direto para confirmar que: "Infelizmente, não há documentação escrita dessas 
aparições (da Virgem Maria . em La Vang) 
Ao mesmo tempo, uma personagem católica vietnamita, 
Nguyen Tuong Lý francamente escreveu e publicou, 
em 15 de agosto de 1998, como citado acima:
 O TRI Buu (CO Vưu) pároco pediu a idade- locais crentes 
com idade quando estes estavam em seu leito de morte, exoneração e aguarda anointment: 'Você deve jurar dizer a verdade, você ouviu seus pais, avós, na menção algo passado relativo Aparições da Virgem Maria em La Vang?
 Todas aquelas pessoas respondeu 'Sim' .
O evento aconteceu há quase 100 anos.' 
A Virgem Maria apareceu cerca de 100 anos antes. 
Com medo de não serem autorizados a ir para o paraíso,
 essas testemunhas "teve que responder" Sim ",
para as coisas supostamente acontecendo por muito tempo,
 muito tempo, mesmo antes de ter nascido. 
Eles próprios não viu (testemunha) nada.
 Isso explica porque o Vaticano negou-lo. 

Nas Filipinas, a capela de Nossa Senhora de La Vang
 é agora a igreja paroquial católica romana e santuário
 nacional em Puerto Princesa City, em Palawan.
Tornou-se tem uma padroeira de Puerto Princesa 
e padroeira de Palawan.


terça-feira, 21 de julho de 2015

ORAÇÃO À VIRGEM MARIA





Dá-me um pouco de tua força para minha fraqueza.
Um pouco da tua coragem para o meu desalento.
Um pouco da tua compreensão para o meu problema.
Um pouco da tua plenitude para o meu vazio.
Um pouco da tua rosa para o meu espinho.
Um pouco da tua certeza para a minha dúvida.
Um pouco do teu sol para o meu inverno.
Um pouco da tua disponibilidade para o meu cansaço.
Um pouco do teu rumo infinito para o meu extravio.
Um pouco da tua neve para o barro do meu pecado.
Um pouco da tua luminosidade para a minha noite.
Um pouco da tua alegria para a minha tristeza.
Um pouco da tua sabedoria para a minha ignorância.
Um pouco do teu amor para o meu rancor.
Um pouco da tua pureza para o meu pecado.
Um pouco da tua vida para a minha morte.
Um pouco da tua transparência para o meu escuro.
Um pouco do teu Filho Jesus para este teu filho pecador.



sábado, 18 de julho de 2015

ORAÇÃO À VIRGEM MARIA, RAINHA DOS ANJOS






Augusta Rainha dos Céus e soberana Senhora dos Anjos, 
Vós que, desde o primeiro instante de vossa existência, 
recebestes de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça
 de Satanás, humildemente Vô-lo pedimos, enviai as legiões celestes dos santos anjos perseguirem, por vosso poder e sob vossas ordens, os demônios, combatendo-os por toda a parte, reprimindo-lhes a insolência, e lançando-os nas
 profundezas do abismo.
Quem é como Deus?
Ó boa e terna Mãe, sede sempre o nosso amor e a nossa esperança.
Ó Mãe divina, mandai-nos os vossos santos anjos que
 nos defendam, e repilam para bem longe de nós o maldito demônio, nosso cruel inimigo.
Santos anjos e arcanjos, defendei-nos e guardai-nos. 
Amém.